Pro povo aumento de salário menor que 7%, para a VEJA, ISTOÉ, ÉPOCA aumento de 900%

trabalhador-midia




Começamos a notar os interesses por trás do Impeachment de Dilma em um dado relevante, fazendo uma pequena comparação, entre o aumento do salário mínimo e o aumento dado a revistas que fizeram intensa campanha pelo Impeachment de Dilma Rousseff. O jornalista Fernando Rodrigues mostra que Temer aumentou em 900% a verba para Revistas, especialmente Época, Veja, Istoé, as três que fizeram intensa campanha pela “prisão de Lula”, pelo Impeachment, pela Lava Jato e sua mira no PT, agora compare com o aumento do salário mínimo, o menor dos últimos 13 anos (anos do governo Lula e Dilma), menor até que o reajuste inflacionário.

Salário mínimo não tem aumento acima da inflação pela 1ª vez desde 2003

Começou a valer o novo salário mínimo nacional. De R$ 880, o valor passou para R$ 937: reajuste de 6,47%, porém sem ganho real ante o INPC.





O salário mínimo não subiu acima da inflação pela primeira vez desde 2003, no início da série medida pelo Dieese. Começou a valer no dia 1º o novo salário mínimo nacional. De R$ 880, o valor passou para R$ 937: um reajuste de 6,48%. No entanto, o reajuste teve a mesma variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor (INPC). O maior aumento real foi em 2006, de 13,04%. O menor foi em 2016, de 0,36%.

Segundo o Dieese, com o novo valor de R$ 937 e considerando uma taxa mensal da inflação medida pelo INPC para dezembro em 0,05%, o salário mínimo terá acumulado ganho real de 77,17% desde 2003.

salario-minimo-sem-aumento-real
(…)”
Agora compare a farra dos recursos públicos investidos em revistas politicamente engajadas que apoiaram o Impeachment de Dilma e essa plataforma econômica do governo Temer/PSDB.

Tijolaço
Do jornalista Fernando Rodrigues, em sua newsletter Drive de hoje:

Nas contas de quem acompanha os gastos de propaganda estatal, as verbas destinadas a revistas impressas já aumentaram algo como 900% sob Michel Temer. Nas últimas décadas, essa plataforma vinha recebendo pouca ou nenhuma atenção da publicidade oficial federal.

Por revistas impressas, leia-se Veja, Época e IstoÉ, esta última a mais feroz denuncista contra Lula, Dilma e o PT, que Rodrigues diz ser  a predileta de Michel Temer”.

E por 900% entenda-se dez vezes mais.

A Istoé, do polêmico Domingo Alzugaray, que há dias condecorou  Temer com o título de “o brasileiro do Ano” –  numa festa com o próprio, Sérgio Moro, Aécio Neves e Geraldo Alckmin – pode ser acusada de tudo, menos de ingrata.

Aliás, vê-se, a gratidão é uma virtude mútua.

Com isso notamos que não falta dinheiro, o problema é que o dinheiro está para pagar a fatura do apoio ao GOLPE, chamado de Impeachment pela imprensa e seus líbelos e apoiadores que ganham vantagens financeiras.