Falências de empresas disparam e aumentam em 12,2% em 2016




As empresas brasileiras foram uma das grandes vítimas do desastre econômico da gestão de Michel Temer e Henrique Meirelles; número de pedidos de falência no país cresceu 12,2% em 2016; esta é a primeira vez que há um aumento de dois dígitos em anos consecutivos desde que a série histórica foi iniciada pelo SCPC Boa Vista, em 2006; também houve crescimento nas falências decretadas (14,7%) e nos pedidos de recuperação judicial (49,4%); o maior número de pedidos de falência em 2016 aconteceu no setor de serviços: 39%;  situação das empresas vinha se deteriorando desde 2015, quando forças políticas interessadas em derrubar a presidente Dilma Rousseff deliberadamente provocaram um caos econômico ao estilo “quanto pior melhor”

247 – As empresas brasileiras foram as grandes vítimas do desastre econômico da gestão de Michel Temer e Henrique Meirelles. O número de pedidos de falência no país cresceu 12,2% em 2016. Esta é a primeira vez que há um aumento de dois dígitos em anos consecutivos desde que a série histórica foi iniciada pelo SCPC Boa Vista, em 2006. A situação das empresas vinha se deteriorando desde 2015, quando forças políticas interessadas em derrubar a presidente Dilma Rousseff,deliberadamente provocaram um caos econômico ao estilo “quanto pior melhor”. Também houve crescimento nas falências decretadas (14,7%) e nos pedidos de recuperação judicial (49,4%). O maior número de pedidos de falência em 2016 aconteceu no setor de serviços: 39%.



As informações são da  coluna Mercado Aberto, de Maria Cristina Frias, na Folha de S.Paulo.

“É uma diferença pequena do nível observado em 2015 e bem distante de 2013 e 2014, quando houve uma estagnação. A situação é um retrato da trajetória econômica recente do país”, diz Yan Cattani, economista do Boa Vista.

O crescimento mais significativo, no entanto, aconteceu entre as indústrias, responsáveis por 37% dos requerimentos. O aumento foi de 14,2%, na comparação com 2015.”




,

Leia também

Em plena noite de domingo, Temer se reúne com tucanos e aliados para barrar denúncia contra ele e salvar Aécio

Quadrilha reunida.