Jornalista mostra que fim da força tarefa da PF na Lava Jato, pode fazer sumir provas sobre tucanos

Marcelo Auler, que conhece muito bem esta área, diz em seu blog que “é comentário solto na Polícia Federal  em Brasília, que o desmonte da Força Tarefa tem outros objetivos além de arrefecer as investigações no momento em que elas resvalam e tendem a descambar em não petistas, o alvo maior da chamada República de Curitiba.”



-Leandro Daiello, o diretor-geral cujo futuro é desconhecido, ao desmantelar o grupo, na verdade tem um segundo – principal??? – objetivo: protegê-lo e proteger a si mesmo. Quer dificultar ao máximo que alguém – a nova Procuradora-Geral da República, Raquel Dodge, por exemplo, que seria adepta de o MPF exercer mais fortemente o controle externo das atividades policiais  – caia na tentação de apurar as muitas irregularidades cometidas em nome do combate à corrupção.

Auler lista – e como lista, com farta documentação! – as irregularidades e as monstruosidades ocorridas na Superintendência da Polícia Federal do Paraná,  com a cumplicidade da Direção Geral da Instituição  que, agora, faz a “queima de arquivos”.




Agora, desmonta-se a equipe e, com isso, evita-se também que denúncias antigas sejam investigadas. Se conseguirão ou não o tempo dirá. Inclusive, e principalmente, após a posse de Raquel Dodge, á frente da PGR.

Leia a matéria completa no Blog do Marcelo Auler.

,