Aliado de Bolsonaro, premiê de Israel, será indiciado por corrupção

Estrela da cerimônia de posse de Jair Bolsonaro, o primeiro-ministro de Israel deve ser indiciado por corrupção, conforme indica a imprensa israelense; o caso certamente prejudicará sua imagem para disputar as eleições no país em abril desse ano, e ainda encurrala Bolsonaro, que martela o discurso do combate à corrupção, apesar de não segui-lo; Netanyahu ainda é alvo de outras ações da polícia de Israel

247 – Estrela da cerimônia de posse de Jair Bolsonaro, o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, deve ser indiciado por corrupção, indica a imprensa israelense.

LEIA TAMBÉM:

O caso certamente prejudicará sua imagem para disputar as eleições no país em abril desse ano, e ainda encurrala Bolsonaro, que martela o discurso do combate à corrupção, apesar de não cumpri-lo. Netanyahu ainda é alvo de outras ações da polícia em seu país.

No início de dezembro, a Polícia de Israel recomendou o indiciamento do primeiro-ministro israelense por fraude e suborno. Ele é suspeito de beneficiar o conglomerado de telecomunicações Bezeq, o que poderia ter gerado milhões de dólares ao grupo, em troca de uma cobertura favorável no site de notícias Walla.

Os investigadores também recomendaram a acusação de “obstrução” da Justiça para a esposa do primeiro-ministro, Sara Netanyahu, que também veio ao Brasil para uma viagem de cinco dias. Entre os compromissos, acompanharam a posse do novo presidente brasileiro.

Confira o comentário do jornalista Guga Chacra, correspondente internacional da Globonews em Nova York: