Policial federal denunciou que PF recebia dinheiro da CIA e FBI para cumprir seus “interesses”

A matéria é antiga e remonta o início do governo Lula, no entanto mostra o controle de instituições brasileiras pela agenda norte-americana, quem denuncia não é um militantes ou teóricos da “conspiração” e sim um delegado da PF a época.

Do Estadão


O presidente da Federação Nacional de Policiais Federais (Fenapef), Francisco Garisto, confirmou hoje que “a Polícia Federal recebe dinheiro do serviço secreto americano (CIA) e de outras instituições como a de combate ao narcotráfico – DEA – e do Federal Bureau Investigation (FBI)”. A informação foi dada pelo ex-chefe do FBI no Brasil, Carlos Alberto Costa, em entrevista à revista Carta Capital, publicada em 24 de março deste ano. Garisto falou hoje na Comissão de Segurança Pública da Câmara. Segundo Francisco Garisto, os dólares recebidos são depositados em contas individuais e, muitas vezes, trocados no câmbio paralelo, informa a Agência Brasil. De acordo com o presidente da Fenapef, são repassados anualmente à Polícia Federal US$ 10 milhões, metade oriunda do DEA. Garisto disse aos parlamentares que essa questão foi apresentada ao ministro da Justiça, Márcio Thomaz Bastos, por meio de um ofício enviado em 7 de janeiro de 2003. Na oc asião, foi aberta uma sindicância, mas nada ocorreu até agora para mudar este procedimento, disse o policial. A contrapartida exigida pelo governo americano, ao repassar estes recursos à Polícia Federal, é de que sejam aplicados exclusivamente no combate ao tráfico internacional de drogas dirigido aos Estados Unidos, afirmou Garisto. “É um dinheiro maldito que causa discórdia na Polícia Federal”.

Leia também: Ministro de Temer diz que o Brasil só ganha com liberação do trabalho escravo

 

Também o Consultor Jurídico entrevistou o policial federal que denunciou a prática, veja alguns trechos:

A prática da conta secreta é recente?

Já no dia 6 de janeiro de 2003 nós encaminhamos um ofício ao ministro da Justiça e nele, dentre as coisas que nós denunciávamos (queríamos uma Polícia Federal mais moderna, porque o governo que está aí se iniciava) era justamente este acordo, internacional entre aspas, que se arrasta dentro da Polícia Federal. Eu acredito que essa falta de verba na PF não pode comprometer a soberania nacional. É preferível não ter dinheiro para trabalhar do que ficar subordinado a um patrão estrangeiro, o caso o governo americano, que nos dita as normas sobre onde deve ser aplicado esse dinheiro. Esse dinheiro está depositado na conta particular de um dos delegados da PF, isso deve ser apurado, porque a Polícia Federal como instituição não pode ser responsabilizada por atos de funcionários que têm de ver que isso é uma vergonha.




A suposta ingerência dos EUA pára por aí, na PF?

Tem também essa coisa de ir para os Estados Unidos, passar por entrevistas em organismos internacionais, isso é comum – e já denunciamos isso, até teste de polígrafo, vários agentes já submeteram a isso, acho isso uma vergonha. Esse governo que está aí fica falando em soberania, mas ele tem de atentar para a soberania existente dentro da Polícia Federal, e este diretor que está aí, Paulo Lacerda, não fez nada, e na verdade só ampliou esses problemas. Tanto que nós fizemos uma pesquisa nacional agora e 91% dos policiais federais se posicionaram contra a administração desse delegado, num plebiscito nacional, com acompanhamento de ONGs. O delegado Lacerda foi reprovado justamente por causa dessas mazelas.

Leia a matéria completa no Conjur

Siga nosso Facebook , TwitterCanal de Youtube , Instagram , VK