Juiz proíbe protesto contra Moro em shopping na Bahia e cobra R$ 100 mil de quem desrespeitar

Jornal GGN – A pedido do Shopping Barra, o juiz Carlos Cerqueira Júnior, da 6ª Vara Cível e Comercial, proibiu protestos dentro e fora do centro comercial entre os dias 23 e 24 de agosto, quando acontece o III Simpósio Nacional de Combate à Corrupção no local, com a participação do juiz Sergio Moro. A decisão do juiz censura movimentos pela liberdade de Lula, contra os abusos de Lava Jato e os penduricalhos do Judiciário, como auxílio-moradia. Quem desobedecer a ordem estará sujeito à multa de R$ 100 mil.




Em nota, o Fórum dos Movimentos Sociais de Salvador afirmou que “é um absurdo completo, um desrespeito total ao direito de expressão, se proibir que em qualquer lugar da cidade, as pessoas não tenham direito de protestar contra quem quer que seja. Nem a ditadura militar ousou chegar a esse absurdo.”

Leia também:Bolsonaro decide não participar mais dos debates

“Ironicamente, a decisão do magistrado baiano representa justamente o que a manifestação pretende denunciar: o autoritarismo do Judiciário brasileiro, que tem colocado em xeque o Estado Democrático de Direito, nestes tempos sombrios. É inadmissível o flagrante e contumaz desrespeito de juízes – e não só eles, incluindo também promotores, procuradores, policiais federais, entre outros agentes que atuam em nome do Estado – à Constituição Federal.”




Para o Fórum os juízes brasileiros “fantasiam uma ideia de superioridade, que os colocam em uma posição de intocáveis, mas não são. Estão sujeitos a críticas porque são servidores públicos e, assim sendo, devem satisfação ao povo (…).”

O grupo ainda destaca que a decisão do juiz é uma afronta à Constituição, que prima pela liberdade de manifestação e de reuniões. “São direitos conquistados com muita luta do nosso povo, e garantidos em uma Constituição que encerra um tempo de autoritarismo no Brasil, que foi a ditadura militar (1964-1985). Não aceitamos uma nova ditadura! Pedimos respeito à democracia.”

“O estado de exceção posto em prática pela República de Curitiba a serviço de Michel Temer não vai intimidar aqueles que lutam pela liberdade e pela democracia”, diz o Fórum.

Receba nossas atualizações direto no Whatsapp

Vídeos relacionados: