Militares já encaram com naturalidade a libertação de Lula

Segundo informações da jornalista Monica Bergamo, na sua coluna na Folha de São Paulo,  a libertação do ex-presidente Lula, não é mais motivo de “turbulência” e preocupação entre militares, eles já encaram com naturalidade a possível soltura de Lula.



Magistrados de cortes superiores que têm bom relacionamento com os militares já capturaram sinais de que eventual libertação do petista não seria mais – como no ano passado – motivo de turbulência na caserna.

Villas Boas fez pressão no STF ás vésperas do julgamento de Lula no STF,. O ex-comandante do Exército general Eduardo Villas Bôas Foto: Foto: Ailton de Freitas/Agência O Globo

Militares, como o General Villas Boas, fizeram pressão no STF ás vésperas do julgamento de Lula em 2018, o episódio foi emblemático e mostrou o empenho de setores militares na prisão de Lula.  Villas Boas em entrevista a Folha de São Paulo, afirmou que pensou em ‘‘intervir”,  caso o STF  concedesse Habeas Corpus ao ex-presidente Lula, em abril de 2018. Temos a preocupação com a estabilidade, porque o agravamento da situação depois cai no nosso colo. É melhor prevenir do que remediar”, disse. “É melhor prevenir do que remediar”, disse Villas Boas.




O Ministro Dias Toffoli, relatou que o General Villas Boas, ás vésperas do segundo turno de 2018, havia dito que tinha “300 mil homens armados que apoiavam Bolsonaro’‘, que outro resultado que não fosse a vitória de Bolsonaro seria considerada “fraude” nas urnas.