TSE manda tirar do ar 300 mil fake news contra vice de Haddad

O ministro Sérgio Silveira Banhos, do TSE, determinou a retirada de páginas do Facebook e conteúdos veiculados no YouTube que ofendiam e desqualificavam a candidata à vice-presidência na chapa de Fernando Haddad, Manuela d’Ávila; Sérgio Banhos determinou a retirada imediata de 16 links de responsabilidade do Facebook; foram quase 300 mil publicações, que geraram mais de 13 milhões de visualizações




Do site oficial de Lula

A coligação O Povo Feliz de Novo, que tem Fernando Haddad como candidato a presidente e Manuela d’Ávila como vice, obteve mais uma vitória no combate às fake news junto ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

O ministro Sérgio Silveira Banhos (TSE) determinou no sábado (20/10) a retirada de páginas do Facebook e conteúdos veiculados no YouTube que ofendiam e desqualificavam a candidata à vice-presidência Manuela d’Ávila. Sérgio Banhos determinou a retirada imediata de 16 links de responsabilidade do Facebook.



Na mesma representação (nº 0601635-31.2018.6.00.0000), deferida em 8 de outubro, 73 URLs também tiveram que ser retiradas do ar por determinação do TSE. O conteúdo era sempre o mesmo, um vídeo atribuindo condutas moralmente reprováveis, de cunho pornográfico, a Manuela d’Ávila. Foram quase 300 mil publicações, que geraram mais de 13 milhões de visualizações.

Impulsionamento ilícito

Em outras duas representações (nº 0601500-19.2018.6.00.0000 e nº 0601596-34.2018.6.00.0000) deferidas pelo ministro Sérgio Banhos, também no sábado (20/10), a coligação de Geraldo Alckmin (PSDB) e a deputada federal eleita Carla Zambelli (PSL) foram multadas por propaganda eleitoral irregular, mediante impulsionamento de conteúdo de forma ilícita em plataformas digitais.

Geraldo Alckmin deverá pagar multa de R$ 10 mil e a deputada do PSL, partido do candidato a presidente Jair Bolsonaro, terá de desembolsar R$ 5 mil.

Receba nossas atualizações direto no Whatsapp