‘Cheira a sujeira’: The Guardian lista escândalos do 1º mês de Bolsonaro

A lista de escândalos de Jair Bolsonaro (PSL) e seu clã é tão grande que o jornal britânico The Guardian apontou que o primeiro mês do desgoverno ‘cheira a sujeira’. A publicação elencou todos as denúncias envolvendo a família Bolsonaro e o primeiro escalão do Executivo, que chega a falar em ‘Bolsogate’.

O The Guardian entrevistou eleitores de Jair que revelaram arrependimento, justamente porque o tão prometido combate à corrupção não passou de uma falácia. O jornal britânico destacou o envolvimento de Flávio Bolsonaro com a milícia do Rio de Janeiro acusada do assassinato da vereadora Marielle Franco (PSOL), as movimentações bancárias suspeitas identificadas pelo Coaf e os depósitos do ex-assessor Fabrício Queiroz.

Leia também:

De acordo com a reportagem, o senador eleitor, filho de Bolsonaro, se envolveu com “prática ilegal de desviar parte dos salários dos funcionários do gabinete parlamentar”. Com base no O Globo, o The Guardian lembrou que a crise do governo de Jair aumentou ainda mais após descobrirem que Flávio “havia empregado a mãe e a esposa de um líder de esquadrão de morte, cuja milícia é suspeita de envolvimento no assassinato de Marielle”, destacou.

Ainda segundo o Guardian, “a gravidade potencial do escândalo é tal que, poucos dias depois de Bolsonaro tomar posse, um proeminente site de direita ponderou se Jair poderia ter que ser substituído por seu vice-presidente, Hamilton Mourão (PRTB)”.

Brumadinho-MG e o ‘fiasco’ em Davos


O primeiro mês de Bolsonaro na Presidência também foi marcado pelo crime ambiental em Brumadinho-MG. O jornal britânico lembrou da quantidade de mortos – até esta publicação 110 pessoas – e os desaparecidos após o rompimento da barragem da Vale.

Segundo o Guardian, a “catástrofe da barragem levantou novas questões sobre os controversos planos do presidente para a desregulamentação ambiental: Bolsonaro atacou agências ambientais por atrasarem o desenvolvimento com o que ele descreve como exigência excessivas de licenciamento”. A publicação destacou também que Jair defende liberar a mineração em reservas indígenas.

Outro episódio analisado pela reportagem foi a ida de Bolsonaro a Davos. O Guardian destacou publicação do Estadão que chamou a primeira viagem internacional de Jair como “um fiasco sem precedentes”. Por fim, o jornal britânico lembrou da “avaliação devastadora” que o prêmio Nobel de Economia Robert Shiller fez de Bolsonaro ao apontar que tem “medo” do e que “o Brasil é um país grande, e merece alguém melhor”.

Da Redação da Agência PT de Notícias, com informações do The Guardian

Receba nossas notícias no seu Whatsapp

Receba nossaa notícias no seu Telegram