Em sermão na missa de Aparecida, arcebispo diz que ‘direita é violenta e injusta’

Via G1

Dom Orlando Brandes também falou em defesa da natureza e pediu que ‘crianças não morram mais de bala perdida’. Sobre a homilia, religioso disse após a missa que referência foi a ideologia, não a governos.

O sermão do arcebispo de Aparecida, Dom Orlando Brandes, na missa solene no Santuário Nacional, maior templo católico do país, criticou o ‘dragão do tradicionalismo’ e disse que a ‘direita é violenta e injusta’. Ele ainda criticou a corrupção, defendeu a preservação da natureza e pediu para que crianças não morram mais vítimas de bala perdida. (assista vídeo acima, no trecho 5´45´´)



A celebração, neste 12 de outubro, feriado da Padroeira, começou às 9h e durou uma hora e meia. A missa foi acompanhada por uma multidão – neste feriado são esperados 170 mil romeiros em Aparecida. O presidente Jair Bolsonaro tem agenda na basílica às 16h e está previsto encontro com o arcebispo.

Na homilia de Dom Orlando, que durou cerca de 10 minutos, ele fez referência a duas leituras bíblicas com desdobramentos em temas da atualidade. (leia a íntegra abaixo)

“Temos o dragão do tradicionalismo. A direita é violenta, é injusta, estão fuzilando o Papa, o Sínodo, o Concílio Vaticano Segundo. Parece que não queremos vida, o Concílio Vaticano segundo, o evangelho, porque ninguém de nós duvida que está é a grande razão do sínodo, do concílio, deste santuário, a não ser a vida como já falei”, disse.




O arcebispo também tratou de outros temas com os fiéis, entre eles

aborto, com apelo às mães grávidas para que valorizem a vida até o fim
alerta para os casos de suicídio entre os jovens
assistência aos idosos, para que envelheçam com dignidade
desemprego, relembrando os que não têm como sobreviver

(…)

Veja o vídeo: