Clã Bolsonaro lamenta morte de MC Reaça que espancou amante grávida

O clã Bolsonaro chorou publicamente a morte de MC Reaça, que se suicidou no sábado; mas ignorou a namorada do funkeiro, grávida, espancada por ele pouco antes do suicídio; MC Reaça ficou conhecido por suas composições de apoio a Bolsonaro e ódio às feministas; “gente fina”, “amor pelo Brasil” foram algumas das expressões dos Bolsonaro; a mulher deixou a UTI e aguarda a cirurgia a que será submetida



247 – O clã Bolsonaro chorou publicamente a morte de Tales Volpi ou MC Reaça, que se suicidou no sábado (1) e derramou-se em elogios a ele. Mas ignorou solenemente a agente de viagens de 28 anos grávida espancada por ele pouco antes do suicídio. O funkeiro ficou conhecido por suas composições de apoio a Bolsonaro e de ódio às feministas.

Jair Bolsonaro escreveu que MC Reaça “será lembrado pelo dom, pela humildade e por seu amor pelo Brasil”; Eduardo Bolsonaro grafou que o artista era “gente fina”; Carlos Bolsonaro agradeceu: “Obrigado sempre pela força!”. Nenhum deles escreveu uma linha sequer sobre a mulher, grávida de MC Reaça, brutalmente espancada.




A mulher, cujo nome vem sendo mantido em sigilo, continua segue internada no Hospital Augusto de Oliveira Camargo (HAOC), de Indaiatuba. Ela já deixou a UTI e seu estado de saúde agora é estável, segundo informação da assessoria de imprensa do hospital na manhã desta segunda-feira (3). Ela precisará ser operada, mas cirurgia só deverá ocorrer quando o inchaço dos hematomas diminuir, segundo o jornalista Felipe Branco Cruz.

O funkeiro era casado com outra mulher e agrediu a agente de viagens, com quem mantinha um relacionamento extraconjugal, após ela revelar que estava grávida. O boletim de ocorrência da agressão foi registrado em outra delegacia, na cidade de Indaiatuba, pelo pai da vítima. No documento, o pai diz que a filha sofreu hematomas na face e no olho direito, além de fraturas no maxilar e aponta Tales como o autor das agressões.

Vejaj os tweets: