em Denúncias

Fazendeiro que escondeu Adriano da Nóbrega tem foto com Bolsonaro

O fazendeiro que abrigou o miliciano Adriano da Nóbrega, morto em troca de tiros com a Polícia Baiana no dia 9 de fevereiro, tem fotos com selfies ao lado de Jair Bolsonaro, como revela a Revista VEJA. Adriano tinha a mãe e ex-esposa no gabinete de Flávio Bolsonaro e segundo o MP do Rio de Janeiro, Adriano recebia parte do esquema de rachadinha do gabinete de Flávio Bolsonaro (SEM PARTIDO-RJ).




Mais um fato se soma ao caso Adriano da Nóbrega, o miliciano morto pela Polícia Militar da Bahia, no dia 9 de fevereiro desse ano. O fazendeiro Leandro Abreu Guimarães, que abrigou o miliciano Adriano da Nóbrega, já tirou selfies ao lado de Jair Bolsonaro durante um evento no interior do Estado, aponta reportagem da revista Veja.

Reportagem da Revista VEJA, diz que parentes do fazendeiro teriam   dito que ele foi “torturado”, para entregar o paradeiro do miliciano. Bolsonaro tenta a todo custo manter distância e dizer que não tinha relação direta com Adriano da Nóbrega, no entanto segundo colega de cela de Adriano, Flávio Bolsonaro teria visitado o miliciano na cadeia, mais de uma vez.




Bolsonaro também pediu uma “perícia independente” dos celulares de Adriano e chegou a falar que podem “armar” contra ele. Um sinal de desespero do clã, Flávio Bolsonaro chegou até a publicar vídeo de cadáver que não era de Adriano, afirmando ser de Adriano da Nóbrega.

Adriano frequentava o gabinete de Flávio Bolsonaro, tinha mãe e ex-esposa empregadas no gabinete de Flávio e recebia parte do esquema de rachadinha  do gabinete do filho do presidente.

A reportagem relembra que “em dezembro, quando a pauta se restringia apenas ao esquema da rachadinha, o presidente disse em entrevista a VEJA que outro escândalo estava prestes a estourar e teria como origem interceptações telefônicas que mostrariam o envolvimento dele e dos filhos com o crime organizado no Rio”.

LEIA TAMBÉM:

A pergunta quem teria passado essa informação a Bolsonaro?



Leandro, o fazendeiro que abrigou Adriano, eram amigos  desde o ano de 2017.  Segundo a reportagem o fazendeiro Leandro, abrigou Adriano e sua família e o alertou de operação policial que tentou na primeira vez prende-lo, sem sucesso. Ainda de acordo com a reportagem, Leandro levou Adriano ao sítio de vereador do PSL, onde Adriano foi encontrado e morto.

Comments are closed.