em Internacional

Homem que morreu de Covid, duvidava da pandemia e recusava usar máscara

19/07/2020

Um homem de 37 anos, que era contra o uso de máscaras e acreditava que a pandemia era mero “sensacionalismo”, morreu de coronavírus. Conheça a história de Richard Roose , um negacionista que duvidava do coronavírus e acabou morrendo por duvidar da ciência.




Certamente você já ouviu falar de muita gente duvida do Covid e da sua letalidade.

A história a seguir ilustra bem, como duvidar da ciência e acreditar nas famosas “teorias da conspirações” podem custar a vida de pessoas.




O veterano de guerra norte-americano, Richard Roose, duvidava da pandemia do novo coronavírus, dizia que não usaria máscaras, chamava a pandemia de “sensacionalismo”. No entanto, Richard, morreu de coronavírus.

Assim como alguns líderes mundiais, que chegaram a chamar o coronavírus de “fantasia”, como Bolsonaro.

O americano escreveu isso em seu Facebook: “Vamos deixar isso claro. Não vou comprar uma máscara. Cheguei até aqui não acreditando nesse maldito sensacionalismo”, escreveu Richard Rose em abril, num post no Facebook que agora viralizou.

Logo depois, cerca de 3 meses depois, em 1º de julho, Richard mudou sua posição, é que agora ele estava com o coronavírus.




“Só quero me sentir bem de novo!”, escreveu ele, uma hora antes de postar que o resultado tinha sido positivo: “Bem, estou oficialmente em quarentena pelos próximos 14 dias”.

Um dia depois, Richard escreveu:

“Isso é horrível! É uma droga! Estou tão sem fôlego só de ficar sentado aqui”.


Richard em postagem no Facebook chega a comparar máscara com um niqab arabe

Logo após escrever isso, cerca de 2 dias depois (4 de julho) , Richard morreu com o agramento do seu quadro de saúde.

“Rick está sendo massacrado on-line agora por sua decisão de não usar máscara e isso não está certo”, lamentou Nick Conley, amigo de Rose, ao canal “19 News”, afiliada local da “CBS”:

“Ainda devemos ter compaixão se concordamos ou não com as crenças de alguém. Alguém morreu e devemos ter alguma compaixão por isso”. completou o amigo.


Furando a Quarentena, duvidando do coronavírus


Richard Rose, que durante a pandemia resolveu literalmente furar a quarentena

Enquanto muitos se isolavam, Richard fazia check-in em bares e restaurantes em junho em Ohio, quando a pandemia já havia avançado para a casa dos milhões nos EUA.

De acordo com a família de Richard, ele não tinha doenças pré-existentes.

Lá como aqui, os negacionistas da pandemia, fazem um tremendo mal, colocando em risco á eles e aos outros.

Não muito diferente daqui, quando bolsominions chegaram a afirmar que o coronavírus “nunca matou ninguém”.

Por redação com informações do Insider

Clique aqui e receba nossas notícias no seu Whatsapp

SIGA nossas redes:

 

 

 

 

Os comentários estão desativados.

<--retirado daqui os relacionados Mobile -->