Intolerante com Lula, ministro do STJ inocenta fazendeiro acusado de estupro de menores

Processo do fazendeiro Geraldo Brambilla, acusado de estuprar uma menina de 13 e outra de 14 anos, chegou até as mãos de Félix Fisher, do STJ, que inocentou o acusado e extinguiu sua pena

O advogado Ariel de Castro Alves, do Conselho Estadual de Direitos Humanos de São Paulo (Condepe), revelou ao Diário do Centro do Mundo nesta quinta-feira (31) que o fazendeiro Geraldo Brambilla, preso sob a acusação de estuprar uma menina de 13 e outra de 14 anos, foi inocentado e teve sua pena extinta pelo ministro Félix Fischer, do Superior Tribunal de Justiça (STJ).

Leia também:

O processo estava em segredo de Justiça e Ariel teve acesso à decisão, de outubro do ano passado, que agora foi tornada pública. “Infelizmente a impunidade se perpetuou nesse caso e o acusado contou com a benevolência de seus julgadores, e também com a notória morosidade dos trâmites processuais e dos recursos. Casos desse tipo exemplificam e estimulam a violência sexual contra crianças e adolescentes. Devemos lamentar”, disse o advogado.

Brabilla foi detido em 2011 após denúncias anônimas ao Conselho Tutelar de manter relações sexuais com as adolescentes em Pindorama, interior de São Paulo. Ele foi condenado em primeira instância a 8 anos de prisão mas recorreu ao Tribunal de Justiça de São Paulo(TJ-SP), que o absolveu da acusação de estupro de vulnerável. O Ministério Público de São Paulo, então, acionou o STJ e o processo chegou às mãos de Fischer, que seguiu o TJ e extinguiu a pena do fazendeiro.

Fisher é o relator da Lava Jato no STJ que tem, recorrentemente, negado recursos ao ex-presidente Lula, detido desde abril do ano passado em Curitiba sem trânsito em julgado

Receba nossas notícias no seu Whatsapp

Receba nossas notícias no Telegram

Saiba mais do caso no Diário do Centro do Mundo