Em evento da extrema direita, chanceler de Bolsonaro ataca ONU, Greta e Voltaire

O Globo

SÃO PAULO — Em um discurso com as habituais alusões cristãs e termos latinos sem tradução, o ministro das Relações Exteriores, Ernesto Araújo, aproveitou o público do CPAC Brasil, megaevento conservador americano realizado em São Paulo neste sábado (12), para atacar a ONU (Organização das Nações Unidas). Em meio às críticas à ativista sueca Greta Thunberg e ao que chama de globalismo, ele disse que a organização não faz nada para ajudar pessoas em situações de miséria.



— Falando nessa menina Greta, recebi uma foto de uma menina venezuelana que tem 14 anos e pesa 14 quilos. Já a Greta é bem alimentada, bem nutrida e bem recebida pela ONU, a mesma ONU que não faz nada por essa menina. Eu é que pergunto: how dare you (como vocês se atrevem?) — disse o ministro, fazendo referência à frase dita pela sueca na Cúpula do Clima da ONU, quando criticava a inação dos países no combate ao aquecimento global .

LEIA TAMBÉM:

Araújo é um dos conferencistas do evento, além dos ministros Abraham Weintraub (Educação), Onyx Lorenzoni (Casa Civil) e Damares Alves (Direitos Humanos). O CPAC Brasil é organizado por Eduardo Bolsonaro, pela ACU (American Conservative Union) e tem financiamento da Fundação Índigo, ligada ao PSL.




O ministro usou a palestra para criticar a esquerda, as metas de controle de emissão de CO2 e o que chama de ideologia de gênero e climatismo. E tornou a afirmar que o fascismo é de esquerda.