Estadão abandona Moro e defende sua renúncia imediata

“Não foram poucas as vezes em que as suspeitas levantadas pela Lava Jato custaram o cargo a ministros de Estado, incapazes de se explicar. Se Sergio Moro continuar a dizer que é normal o que evidentemente não é, sua permanência no governo vai se tornar insustentável. Fariam bem o ministro e os procuradores envolvidos nesse escândalo, o primeiro, se renunciasse e, os outros, se se afastassem da força-tarefa, até que tudo se elucidasse”, diz o jornal Estado de S. Paulo, que foi uma das principais correias de transmissão da Lava Jato nos últimos anos



247 – O jornal Estado de S. Paulo decidiu romper seu apoio ao ex-juiz Sergio Moro, no editorial Muito a esclarecer, publicado nesta terça-feira. “Causou compreensível estupefação o conteúdo de conversas atribuídas a integrantes da força-tarefa da Lava Jato e a Sergio Moro, então juiz responsável pelos processos relativos à operação e hoje ministro da Justiça. Se as mensagens forem verdadeiras, indicam uma relação totalmente inadequada – e talvez ilegal – entre o magistrado e os procuradores da República, com implicações políticas e jurídicas ainda difíceis de mensurar. Por muito menos, outros ministros já foram demitidos”, aponta o texto.

“Nem o ministro Sergio Moro nem os procuradores citados desmentiram o teor das conversas divulgadas”, lembra ainda o editorial, que defende sua renúncia. “Não foram poucas as vezes em que as suspeitas levantadas pela Lava Jato custaram o cargo a ministros de Estado, incapazes de se explicar. Se Sergio Moro continuar a dizer que é normal o que evidentemente não é, sua permanência no governo vai se tornar insustentável. Fariam bem o ministro e os procuradores envolvidos nesse escândalo, o primeiro, se renunciasse e, os outros, se se afastassem da força-tarefa, até que tudo se elucidasse.”

 

LEIA TAMBÉM:

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *