em Denúncias

Folha publica fotos e documentos que desmentem testemunha na CPI das Fake News

“Publicamos reportagem mostrando todas as mentiras da testemunha da CPMI, com áudio, foto, print screens e planilha”, anunciou a jornalista Patricia Campos Mello, atacada por Hans River em sessão da CPMI. O jornal destacou que “ele deu informações falsas à CPI e insultou” a repórter.




O jornal Folha de São Paulo acaba de publicar nessa terça-feira (10), áudios, fotos e documentos que desmentem o depoimento de Hans River do Rio Nascimento, testemunha chamada na CPMI das Fake News. O jornal mostrou qe ele deu informações falsas a CPI das Fake news.

A matéria fala que “a Folha falou diversas vezes na ocasião com Hans, que também era autor da ação trabalhista. Nas primeiras conversas, ocorridas a partir de 19 de novembro e sempre gravadas, ele disse que não sabia quais campanhas se valeram da fraude, mas reafirmou o conteúdo dos autos e respondeu a perguntas feitas pela reportagem.”




Eduardo Bolsonaro, deputado federal filho do presidente Jair Bolsonaro, aproveitou o depoimento de Hans para atacar a repórter da Folha de São Paulo, afirmando que ela se insinuou “sexualmente” para tomar informações e “tentar prejudicar a campanha de Jair Bolsonaro”.

A reportagem ainda informa que “o Código Penal estipula que fazer afirmação falsa como testemunha em processo judicial ou inquérito é crime, com pena prevista de dois a quatro anos de reclusão, além de multa. Na condição de testemunha, Hans se comprometeu em falar a verdade à comissão. O regimento do Senado diz que a inquirição de testemunhas em CPIs segue o estabelecido na legislação processual penal.”

LEIA TAMBÉM:

“Acusar alguém  quando esse alguém  não está presente  não é  um ato de coragem, é um ato de covardia”, afirmou o senador Angelo Coronel (PSD-BA), presidente da CPMI das Fake News, após as declarações de Hans na CPMI das fake news.



A jornalista da Folha de São Paulo divulgou alguns prints e documentos que mostram que Hans mentiu na CPI. Enumerou suas mentiras na CPI, um dos prints é esse que está abaixo, uma conversa de Whatsapp entre a jornalista e Hans.

A Folha revelou a máquina de fake news e disparos em massa com mentiras e operações de guerra informaciais da campanha de Bolsonaro, nas eleições de 2018. Um empresário que cedeu sua casa para ser o QG da campanha de Bolsonaro, afirmou que por lá “disparavam até fake news”, disse o mesmo em uma reportagem do G1.

 

Comments are closed.