Foto: Montagem

Preço da carne dispara no governo Bolsonaro





Desde o início do governo Bolsonaro, os preços das carnes vem subindo, semana a semana, o aumento no mês de novembro chega a 5,26%, valor dez vezes maior que o registrado em outubro, segundo o Índice de Preços ao Produtor Amplo, da FGV. Na Argentina com Macrí, os alimentos sofreram uma explosão nos preços em 2018, o que levou a grandes marchas contra a fome no país e protestos diários contra o governo neoliberal de lá, derrotado nas últimas eleições de lá, mesmo com apoio de Bolsonaro aqui.

Segundo Pedro Zuchi da Conceição, professor da Universidade  de Brasília (UNB), em entrevista ao Portal Metropóles,  o aumento dos preços que se dão devido a um aumento das exportações de carne para a China e alerta que não há como saber se o aumento nos preços das carnes é algo temporária ou será uma tendência, ou seja, poderemos entrar em situação similar ao que viveu na Argentina, com a explosão e alta de alimentos no governo Macrí, o que levou o governo a congelar preços para tentar estimular o consumo, algo para observar.




A Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (FIPE) divulga dados que mostra o aumento do preço da carne no município de São Paulo, subiu em média 4,2% na segunda quadrissemana de novembro, o contrafilé por exemplo aumentou em média 5,86% e a Alcatra 3,63%.

LEIA TAMBÉM:

Segundo o coordenador de índice de preços da Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas), Guilherme Moreira, os índices devem continuar a subir até o início de 2020.

Com uma oferta menor para o consumo interno, o preço do boi disparou e chegou a R$204,05, um aumento de 40% em 12 meses, segundo o indicador Esalq/B3.  O preço da carne virou alvo de memes em redes sociais de internautas, que vem protestando contra o aumento, dizendo que agora o povo vai comer “churrasco de ovo” ou “churrasco verde e amarelo” do governo Bolsonaro.

Veja alguns memes:


Com informações da Folha de São Paulo   e Revista Fórum