Isolamento: Noruega se opõe a Bolsonaro e congela repasses para preservação da Amazônia

Via UOL

O ministro do Clima e Meio Ambiente da Noruega, Ola Elvestuen, anunciou hoje o congelamento de novos repasses ao Fundo Amazônia, reserva de capital estrangeiro gerida pelo BNDES e destinada ações de preservação ambiental e combate ao desmatamento. Segundo informações do jornal “Dagens Næringsliv”, o valor bloqueado é de 300 milhões de coroas norueguesas, o equivalente a R$ 134 milhões.

Clique aqui e receba nossas notícias no Whatsapp

A decisão do governo norueguês ocorre porque o ministério do Meio Ambiente decidiu reformular a gestão do fundo e extinguir o Cofa (Comitê Orientador do Fundo Amazônia), criado com o objetivo de estabelecer os critérios para aplicação dos recursos na região amazônica. Na prática, isso centraliza o poder decisório nas mãos do Executivo brasileiro e reduz a participação da sociedade civil, sobretudo das ONGs (organizações não governamentais) que desenvolvem projetos ligados ao tema.



O ministro norueguês afirmou considerar a decisão da gestão Bolsonaro uma quebra do acordo entre os países. A Noruega é o principal doador do fundo (R$ 3,2 bilhões), seguida pela Alemanha (R$ 200 milhões), que também já havia congelado novas doações pelas mesmas razões. Questionado ontem sobre esse fato, Bolsonaro afirmou que a chanceler alemã, Angela Merkel, deveria pegar o dinheiro e reflorestar o seu país.

Leia também:

“Eu queria até mandar um recado para a senhora querida Angela Merkel, que suspendeu US$ 80 milhões para a Amazônia. Pegue essa grana e refloreste a Alemanha, ok? Lá está precisando muito mais do que aqui.”




Além de decidir como o dinheiro era investido, o Comitê Orientador do Fundo também mapeava os resultados e enviada relatórios aos países doadores. Na visão da Noruega, a extinção desse grupo de trabalho também compromete a transparência e a eficiência do Fundo Amazônia. “Eles não poderiam fazer isso sem um acordo com a Noruega e a Alemanha”, declarou Elvestuen ao jornal “Dagens Næringsliv”.

A reportagem do UOL tenta contato com a embaixada da Noruega em Brasília, porém ainda não houve resposta. O expediente do órgão se encerra ao meio-dia.

(…)