Macron acusa Bolsonaro de mentir e França se opõe a acordo UE-Mercosul

O Globo

PARIS — Com as queimadas na Amazônia e a forte repercussão internacional para proteger a floresta, países europeus já ameaçam retaliar o Brasil. O presidente francês, Emmanuel Macron, disse que o presidente Jair Bolsonaro mentiu sobre compromissos climáticos e afirmou que será contrário ao acordo entre União Europeia (UE) e Mercosul.



A Irlanda também ameaçou votar contra o acordo. E o governo finlandês, que está na presidência rotativa da UE, pediu que o bloco avalie a possibilidade de banir a carne bovina brasileira.

Clique aqui e receba nossas notícias no seu Whatsapp

O motivo para o posicionamento francês, de acordo com as autoridades locais, é a forma como o Brasil está lidando com a política ambiental. Macron disse nesta sexta-feira que, diante do atual cenário, a França se opõe ao acordo de livre comércio entre UE e Mercosul.




“Tendo em conta a atitude do Brasil nas últimas semanas, o presidente da República observa que o presidente Bolsonaro mentiu para ele na cúpula (do G-20) de Osaka”, disse o governo francês em nota.

LEIA TAMBÉM:

A presidência francesa acredita que Bolsonaro decidiu não respeitar seus compromissos climáticos. “Sob essas condições, a França se opõe ao acordo do Mercosul (com a UE) no estado atual”, complementa a nota.

Debate no G-7

Nesta quinta-feira, Macron já havia convocado os países do G-7 (grupo das sete maiores economias entre os países desenvolvidos), a discutir a questão da Amazônia na reunião deste fim de semana, na França.

A chanceler alemã, Angela Merkel, considerou que os incêndios constituem uma “situação urgente” e concordou que o assunto deve ser debatido no encontro do G-7. O primeiro-ministro do Canadá, Justin Trudeau , também já se manifestou a favor de levar o assunto para a cúpula.

(….)