em Denúncias

Lobistas de Trump dialogam com governo Bolsonaro para empresas explorar Amazônia

The Intercept
NOS ÚLTIMOS MESES, incêndios estão sendo usados para limpar vastas áreas da Amazônia em um ritmo sem precedentes. Um quinto da Amazônia já foi destruído nos últimos 50 anos. Uma maior industrialização da floresta tropical corre o risco de destruir outro quinto, uma perda que seria catastrófica para o ecossistema global.



O desastre é amplamente atribuído a interesses que procuram abrir a maior floresta tropical do mundo para dar espaço à pecuária, à mineração e ao agronegócio focado nas exportações. Documentos revelam que esses interesses estão sendo incentivados nos EUA por lobistas republicanos favoráveis ao governo Trump, que iniciaram conversas com o governo brasileiro para promover o investimento empresarial na Amazônia.

A crise na Amazônia ocorre com o Brasil agora sendo governado por uma administração abertamente hostil às preocupações ambientais e às comunidades indígenas. O presidente Jair Bolsonaro, ex-capitão do Exército que já foi visto como figura marginal na política brasileira, autodeclarado Capitão Motosserra por sua iniciativa de promover a exploração madeireira e o agronegócio na Amazônia.




Logo após assumir o cargo em janeiro, Bolsonaro cortou o financiamento para a principal agência ambiental do Brasil em 24%. E, nesta semana, depois de um relatório do centro de pesquisa espacial brasileira revelar que os incêndios na Amazônia subiram 83% este ano, Bolsonaro culpou as ONGs internacionais em vez de suas próprias políticas antiambientais.

ENQUANTO ISSO, um integrante do governo brasileiro contratou lobistas de Washington para continuar vendendo terras e destruindo a floresta.

Em junho, Wilson Lima, governador do Amazonas, onde está situado aproximadamente um terço da Amazônia, incluindo o epicentro da atual crise de incêndios florestais, começou a trabalhar com o InterAmerica Group, uma empresa de lobby com sede em Washington DC, fundada por Jerry Pierce Jr. Kellen Felix, brasileira vice-presidente do InterAmerica Group, também está listada em registro de divulgação para trabalhar com o estado do Amazonas. Eleito no ano passado, Wilson Lima é filiado ao PSC, partido conservador afiliado à Assembleia de Deus, igreja pentecostal em rápido crescimento no Brasil.

Os registros iniciais, divulgados sob a Lei de Registro de Agentes Estrangeiros através do Departamento de Justiça, que regulamenta o lobby estrangeiro, mostram que Pierce foi chamado para representar o governo de Lima em reuniões com agências federais e o Congresso.




O InterAmerica Group também já apresentou um pacote informativo montado para empresas americanas em nome do governador brasileiro, promovendo a região amazônica por seu potencial de desenvolvimento. O pacote lista mineração, agronegócio e “indústria química de gás” como “oportunidades” para empresas americanas. Entre os “desafios” para essas empresas em potencial está “garantir a conservação da floresta”.

Leia a matéria completa no The Intercept Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

<--retirado daqui os relacionados Mobile -->