em Política

Lula diz que é preciso brigar por direitos e falar grosso de novo

Em discurso feito em Minas Gerais, Lula declarou a necessidade de lutar e não abaixar a cabeça se não seremos “dizimados”. Lula diz que é importante a organização para lutar por direitos. Lula participou de encontro da Coordenação Nacional do MST.




Em discurso feito em encontro da Coordenação Nacional do MST, realizado nessa quinta-feira (23), Lula resolveu subir o tom e falou que “não devemos ter medo” e que com sua idade, com 74 anos ele precisará falar grosso de novo.

Lula disse que os capitalistas ficaram cada vez mais ricos e os pobres empobreceram mais ainda, nos últimos 40 anos.




Lula critica a intromissão dos EUA na política interna e na soberania dos países do mundo, principalmente na questão venezuelana.

Lula afirmou que graças a solidariedade dos russos, chineses e do preparo militar do exército venezuelano que foi inciado com Hugo Chavéz, os EUA não tiveram a coragem de invadir o país.

Lula criticou o golpe militar na Bolívia e lembrou os números econômicos bons do governo Evo Morales e lembrou que a elite boliviana não teria aceito a reeleição de Evo.



Lula disse que sua prisão, que a Lava Jato e o Impeachment de Dilma faziam parte de uma estrutura montada pelos EUA, para tirar o PT do poder.

Lula fez um paralelo sobre seu caso e disse que toda vez que queriam derrubar um governo que era mais popular, os acusavam de corrupção.

Assim teria sido com Getúlio Vargas, com Juscelino Kubischeck que foi acusado de ter um apartamento  em nome de um amigo seu.

Lula criticou que o governo Bolsonaro vai fazer compras governamentais com empresas estrangeiras. Guedes classificou isso como “ataque frontal a corrupção”. Na realidade vai quebrar as empresas nacionais e o mercado interno .

LEIA TAMBÉM:

Lula por fim questionou o que a esquerda deve fazer de agora em diante.

Lula diz que a oposição tem que voltar para as ruas e ir para a periferia “para ajudar o povo a levantar a cabeça” e que o povo “deve lutar para recuperar seu direito a cidadania”.

O ex-presidente diz que o governo e as elites não estão respeitando os direitos sociais e que por isso terá que voltar a falar grosso com eles.

“Se a gente demonstrar medo, nós vamos ser dizimados nesse país, as conquistas que tivemos nesse país vão acabar”.

Lula disse que a sociedade está anestesiado, porque eles ( a esquerda/PT/movimentos sociais) tem culpa e disse que vão ter “que briga para cassete” pela democracia e pelos direitos sociais e organizar do povo trabalhador.

Clique aqui e receba nossas notícias no seu Whatsapp

Entre no nosso canal de Telegram e receba nossos conteúdos por lá

 

 

 

 

 

 

Comments are closed.