Novo governo de esquerda na Argentina vai aumentar salários e congelar preços





O novo presidente da Argentina, Alberto Fernández, prepara uma série de medidas que ele pretende anunciar, assim que assumir o comando da Casa Rosada¹. Um compromisso com os trabalhadores, aposentados, pensionistas e setores mais vulneráveis da sociedade argentina.  Uma das medidas será conter os aumentos de preço, que ano passado chegaram a ter aumento de 48% inflação do país, com medidas que também venham a recompor  o consumo interno na Argentina.

Macrí, inclusive antes de deixar o governo na Argentina, autorizou novo aumento dos combustíveis no país, que pode ter um efeito sobre outros produtos. Bolsonaro foi um dos que mais atuou, para evitar a derrota de Maurício Macrí na Argentina.



Alta de combustíveis na Argentina, com a saída de Macrí

A estratégia de Fernandez é recompor salários e a renda aos trabalhadores e  estimular o setor produtivo. O presidente eleito da Argentina também avisou ao FMI, que o país não fará mais ajustes  fiscais neoliberais e que levam a recessão ao país. Na contramão de Macrí, Fernandez se recusa a dizer aos investidores, como irá lidar com as negociações com o Fundo Monetário Internacional (FMI).

 

Por meio de seu twitter, o presidente eleito coloca como o “combate a fome e a pobreza’‘ como um dos eixos prioritários de seu governo. A Argentina viu a pobreza e a fome explodirem nos últimos anos, tanto que o governo Macrí, declarou emergência alimentar até 2022, com manifestações gigantescas contra a fome e os tarifaços do governo Macrí. A opção de Fernandez de priorizar os trabalhadores, em vez de investidores, bancos e setor financeiro, foi o que fez sua eleição se concretizar no país, o aumento de salários e controle maior de preços, é outra demanda do povo argentino, que Fernandez deve priorizar.

 

Com informações do Valor Econômico

LEIA TAMBÉM:

 

1-Casa Rosada é a sede da presidência da é a sede da presidência da República Argentina, em Buenos Aires, assim chamada pela cor aproximadamente rosa. Abriga também o Museu da Casa do Governo.